Instituto Besc é recebido por ministro Bento Albuquerque

Proportion
Categoria: Notícias

Na ocasião, Bento Albuquerque recebeu os relatórios e as revistas com artigos especializados dos seminários realizados pelo Instituto Besc (iBesc) em 2021

Os conselheiros do iBesc, acompanhados da presidente da instituição Jussara Ribeiro, foram recebidos na tarde dessa quinta-feira (10) pelo ministro Bento Albuquerque, de Minas e Energia. Durante o encontro foram apresentados os resultados do  Frotas & Fretes Verdes e do PAINEL 2021. Albuquerque foi o presidente de honra dessa edição do PAINEL.

A apresentação do relatório pelo professor da Universidade Federal Fluminense Aurélio Murta passou pelos principais tópicos de cada tema debatido nos seminários. Na ocasião, todos os conselheiros se apresentaram ao Ministro e aqueles que tinham assuntos específicos a serem tratados, na pasta, puderam encaminhar os interesses de suas organizações junto às demais autoridades que acompanhavam a reunião, o secretário adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Energético Marcello da Costa e o almirante José Bueno, chefe de Gabinete do Ministro.

Ministro destaca a relevância do iBesc ao dizer que “estamos na guerra, só não estamos fardados”

Durante a reunião, Albuquerque destacou a importância dos debates promovidos pelo iBesc. “Eu me senti muito honrado em presidir o PAINEL e em recebê-los aqui nesta sala, onde tomamos tantas decisões importantes. Vejo com bastante otimismo o futuro, são pessoas como vocês que fazem o país crescer”, declarou.

O ministro enfatizou que em 2021, o Brasil voltou a crescer apesar da pandemia. Em sua fala, ele informou ainda a previsão de investimento de R$ 700 bilhões no setor de energia, de acordo com Plano Decenal de Expansão de Energia 2031.  Ressaltou a importância do setor para o enfrentamento dos dois anos de pandemia e agora com a ofensiva militar na Ucrânia.

“O setor de minas e energia foi fundamental para que enfrentássemos a pandemia sem racionamento de energia e nem apagão, lembrando que além de toda a crise sanitária tivemos a maior crise hídrica dos últimos 91 anos, no meio da pandemia. Costumo dizer que o setor está sempre  no olho do furacão dos graves problemas. Também estamos na guerra, só não estamos fardados. Desde que assumi o ministério venho falando que o dia mais fácil foi ontem”, afirmou Bento.

Hugo Figueirêdo Junior, presidente do Conselho de Administração da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (ABEGÁS), destacou a dificuldade da crise geopolítica internacional para o setor, especialmente no preço. 

Integração com o Agronegócio

Carlos Cidade, diretor de Relações Institucionais da JBS informou que a empresa vai inaugurar uma fábrica de biodiesel em Mafra-SC e uma fábrica de fertilizantes em Guaiçara-SP até abril deste ano, com investimentos bastante vultosos.

O almirante Bueno comemorou as boas notícias e destacou que esses investimentos vão ajudando a reduzir a nossa dependência externa por fertilizantes, tão fundamentais para a nossa economia.  Na ocasião, ele ainda elogiou a desenvoltura da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Tereza Cristina na condução desse problema da importação de fertilizantes.

“Ela está fazendo um trabalho com maestria frente à questão dos fertilizantes, que é um dos grandes problemas trazidos pelo conflito da Rússia com a Ucrânia. Ela está agindo com rapidez para minimizar os dados que podem afetar não só o Brasil, mas o mundo inteiro, já que somos grandes produtores de alimentos”, enfatizou Bueno.

O Instituto Besc valoriza a importância do agronegócio para o desenvolvimento do País. “A ministra Tereza Cristina será a presidente de honra do PAINEL 2022. Na próxima semana, estaremos na cidade de Sinop-MT para realizar a 38ª. edição da ASPEN – Assembleia Permanente pela Eficiência Nacional, acerca da criação do FIAGRO”, destacou Jussara Ribeiro, presidente do iBesc.  O FIAGRO é o Fundo de Investimento nas Cadeias Produtivas Agroindustriais.

Preço dos combustíveis

Rafael Luchini, gerente de Relações Institucionais e Governamentais do Grupo Ultra informou que, exatamente, naquele momento da reunião no MME, o Senado Federal havia acabado de aprovar o projeto que altera a regra de incidência de ICMS sobre os combustíveis, na tentativa de frear o aumento dos preços.

Julio Minelli, diretor superintendente da Associação dos Produtores de Biocombustíveis do Brasil (Aprobio) argumentou que o governo perdeu uma oportunidade de controlar o preço dos combustíveis, quando reduziu de 13 para 10% o percentual de biodiesel no diesel.  O almirante Bueno explicou que o Ministério é sensível às demandas do setor produtivo, porém as decisões são tomadas de forma colegiada e democrática ou mesmo por decisões de governo, portanto não cabe exclusivamente ao MME tal decisão. 

Números que impressionam 

Marcello da Costa apresentou alguns números do Plano que prevê a expansão do setor energético nos próximos 10 anos. 

  • Etanol: previsão de expansão de 5 bilhões de litros, sendo o crescimento de 5% ao ano, totalizando 50% no período;
  • Investimentos no setor até 2031: mais de R$ 3 trilhões;
  • Investimento em biocombustível: R$ 60 bilhões;
  • Derivados de petróleo: R$ 31 bilhões 

Marcelo Perrupato, ex-secretário nacional de Transportes, disse que essas informações são fundamentais, que o setor aguarda anualmente a divulgação dos dados pela Empresa de Pesquisa Energética para traçar o planejamento do setor de transportes. 

Jesualdo Silva, diretor-presidente da Associação Brasileira dos Terminais Portuários (ABTP) falou de algumas decisões que vêm sendo tomadas em nome da verticalização, do risco de se gerar o desinvestimento. Julio Nishida, assessor de diretoria na Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), colocou-se à disposição para articular uma agenda com a diretoria da ANP para tratarem dessa estratégia. Bárbara Câmara, gerente de Relações Institucionais e Governamentais da Ipiranga Produtos de Petróleo, disse que a empresa tem interesse em participar dessa agenda, a fim de colaborar na formulação dessas políticas públicas, que impactam diretamente os negócios.

Players de diversas entidades reunidos

Pelo iBesc, também estavam presentes na reunião Antonio Sobral, analista de Relações Institucionais da Vibra Energia; Cláudia Borges, diretora executiva de Relações Institucionais e Comunicação da Associação Brasileira dos Terminais Portuários (ABTP); Kleyferson  Araújo, gerente Nacional de Planejamento e Desempenho de Redes Governo da Caixa Econômica Federal; Mouana Fonseca, gerente de Relações Institucionais da Bracell Bahia Specialty Cellulose; Pedro Bifano, diretor-presidente da Companhia de Gás de Minas Gerais (GASMIG); Rogério Silva, gerente jurídico operacional e trabalhista na Ipiranga Produtos de Petróleo; Sheyla Oliveira, gerente de Relações Institucionais da Vibra Energia e Urubatan Tupinambá Filho, gerente substituto de Desenvolvimento de Empreendimentos da VALEC – Engenharia, Construções e Ferrovias S.A.

Acesse as publicações entregues ao ministro

Tanto o PAINEL (Pacto pela Infraestrutura Nacional e Eficiência Logística) quanto o Frotas & Fretes Verdes  são projetos que vão além dos seminários. O Instituto Besc produz dois registros, o relatório e uma revista, para cada um dos fóruns, que são usados para consulta e pesquisa por agentes públicos, de mercado e da academia.  Os relatórios são consolidados na Biblioteca Nacional e as revistas têm registro do ISBN, e contam com artigos e conteúdos técnicos, especializados. Acesse os links:

Sobre o Instituto Besc

O iBesc tem como propósito promover o estudo e o conhecimento de todos os núcleos do saber para uma vida sustentável no Planeta. Focado nos aspectos econômicos e humanos, o Instituto reúne dirigentes, especialistas de organizações privadas, públicas e não-governamentais, estudantes e estudiosos de problemas nacionais e continentais. Juntos, eles debatem temas que beneficiam e interessam os brasileiros, buscando a integração de todas as regiões do Brasil para o bem-estar e a prosperidade de sua população.