Troféu PAINEL 2021

Com o objetivo de premiar empreendimentos, personalidades e a inovação de projetos de infraestrutura de energia e transporte no País, o uso eficiente dos modais e a integração de instalações e da logística nacional, aumentando a eficiência e a economicidade das nossas empresas de transporte de cargas e passageiros, o Instituto Besc de Humanidades e Economia criou o Troféu PAINEL, com a anuência do Conselho Técnico & Empresarial do Seminário PAINEL – Pacto pela Infraestrutura Nacional e Eficiência Logística.
O Troféu PAINEL premia profissionais, empresas e órgãos governamentais que, pelo seu desempenho e de seus produtos e/ou serviços, mereçam ser distinguidos pela homenagem e pelo decorrente reconhecimento público.
Essa premiação é parte integrante do Seminário PAINEL, uma realização do Instituto Besc de Humanidades e Economia que, doravante, serão tratados neste documento pelos nomes: Instituto Besc, Conselho e Seminário, respectivamente.

A INDICAÇÃO AO TROFÉU PAINEL
1.1 A indicação dos nomes de pessoas, empresas e órgãos governamentais para concorrer ao Troféu PAINEL deverá ocorrer até o dia 31 de maio de 2021.
1.2 O conselheiro poderá indicar um único candidato em cada uma das categorias.
1.3 Toda indicação deve estar acompanhada de uma justificativa ou defesa.
1.4 Compete ao Conselho do Seminário indicar pessoas, empresas e órgãos governamentais que, segundo critérios técnicos, mereçam, por suas atividades profissionais e desempenho, concorrer ao Troféu PAINEL.
1.5Também compete ao Conselho colaborar com a divulgação desta premiação.
1.6 O Conselho do Seminário é formado por cerca de trinta profissionais, executivos, técnicos e especialistas de todo o país, dentre representantes de organizações públicas e privadas, com reconhecido saber, notório conhecimento e admitida experiência.
1.7 Esses profissionais são convidados pelo Instituto Besc a integrar o Conselho e colaborar com as atividades pertinentes ao Seminário e todas as ações que dele decorrerem.

CATEGORIAS DE PREMIAÇÃO
A almejada sustentabilidade entre as atividades econômicas, a sociedade e o meio ambiente que permeia os propósitos que levaram à criação deste Troféu, busca ampliar a competitividade empresarial e o atendimento às necessidades das regiões, onde atuam as empresas e os órgãos do governo. Com essa visão, o Troféu PAINEL é um incentivo para que haja uma competição saudável entre aqueles que atuam em benefício dos setores de energia, logística e transporte do país, reconhecendo suas ações nas categorias elencadas a seguir.

Empreendimento Privado
Premia empreendimento privado que tenha alcançado a melhoria de processos, produtos e/ou serviços ligados à energia, logística e transporte, com foco na eficiência energética, integração e sustentabilidade do sistema de transporte de cargas e
passageiros, contribuindo dessa forma para ampliar a visibilidade sobre o tema.

Empreendimento Público
Concede esta comenda a empreendimentos públicos, de reconhecida importância para a sociedade brasileira e o desenvolvimento econômico do país, no setor de energia, logística e transporte.

Inovação
Premia projetos inovadores que tenham contribuído para a melhoria de equipamentos, produtos e/ou serviços, de modo a viabilizar ações mais sustentáveis para os setores de energia, logística e transporte.

Instituição Financeira
Concede esta comenda a bancos públicos ou privados, comerciais ou de investimento, pelas relevantes participações no fomento e/ou financiamento de empreendimentos que dignificaram o setor de energia, logística e transporte no Brasil.

Personalidade
Concede esta comenda a executivos, empresários, gestores públicos ou pensadores, reconhecidos pelas relevantes contribuições que dignificaram o setor de energia, logística e transporte no País.

A votação aconteceu do dia 1° de julho ao dia 15 de julho de 2021.

Confira os vencedores do TROFÉU PAINEL 2021

Conheça um pouco sobre os concorrentes ao Prêmio PAINEL 2021
Empreendimento Privado

Programa de Excelência Comgás – COMGÁS

Presente em mais de 90 municípios brasileiros, a Comgás é uma empresa que atua na distribuição do gás natural como alternativa energética na transição para uma economia sustentável, frente ao petróleo e o carvão. A empresa vem colocando em pauta a sustentabilidade e incentivando ações que buscam potencializar ainda mais o desenvolvimento dos conceitos ESG, entre elas, o Programa de Excelência Comgás, criado para o desenvolvimento da rede de parceiros por meio da gestão de indicadores de performance operacional de sustentabilidade.

Usina de geração de energia de Guariba – RAÍZEN GEO BIOGÁS S.A.

Com capacidade instalada de 21 MW, unidade no interior de São Paulo produz energia elétrica por meio de vinhaça e torta de filtro, subprodutos da cana-de-açúcar e é uma das maiores plantas de biogás do mundo. O projeto, que teve a sua construção iniciada em 2018, reforça o compromisso da companhia com a transição energética através da geração e produção de energia e produtos renováveis e sustentáveis. É fruto da joint venture entre a Raízen e a Geo Energética, com foco na produção de biogás a partir de resíduos agrícolas. Construída junto à usina Bonfim, unidade da Raízen com uma moagem de mais de 5 milhões de toneladas de cana por ano que gera elevado volume de vinhaça e torta de filtro e atendem às necessidades de um projeto de biogás em escala comercial, a vinhaça será operada na safra e a torta, ao longo do ano inteiro. A expectativa é que essa combinação chegará em uma produção na ordem de 138 mil MWh.

Sistema Double-Stack – RUMO LOGÍSTICA (BRADO)

A Brado, subsidiária da Rumo que atua em logística de contêineres, oferece um serviço porta a porta e coordena os contêineres para exportação, importação e mercado interno. Desde o segundo semestre de 2019 está se dedicando ao transporte com vagões double-stack. Este serviço aumentou em 40% a capacidade de transporte por ferrovia. Isto só foi possível porque cada um dos vagões tem os contêineres colocados em dois níveis (sendo dois de 40 pés, ou um de 40 pés e dois de 20 pés). O modelo double stack permite uma operação mais sustentável, com ganhos significativos de produtividade e rentabilidade, transportando mais contêineres num mesmo trem e reduzindo custos operacionais.

Terminal Portuário de Alcântara – GRÃO PARÁ MULTIMODAL

O empreendimento pertence à empresa Grão-Pará Multimodal. Consiste no sistema porto integrado à ferrovia, que compreende um Terminal de Uso Privado em Alcântara (MA), mais a Estrada-de-Ferro Maranhão, ambos de caráter privado. O porto é de grande profundidade e a ferrovia conecta-se com as ferrovias Carajás e Norte-Sul.

Cluster Tecnológico Naval do Rio de Janeiro – EMPRESA GERENCIAL DE PROJETOS NAVAIS (EMGEPRON)

A EMGEPRON tem como uma de suas finalidades promover o apoio logístico. Juntamente com a NUCLEP, AMAZUL e CONDOR, criaram a Associação do Cluster Tecnológico Naval do Rio de Janeiro, empreendimento privado, que tem como foco a promoção do mercado interno, inovação e tecnologia, valorização do mercado local e encadeamento produtivo entre pequenas, médias e grandes empresas. A Associação tem como eixos prioritários o adensamento das cadeias produtivas relacionadas à geração de estímulos à economia do mar – que inclui, dentre outras, subsidiar empresas privadas ligadas ao ramo do mar, que fazem parte do Cluster Tecnológico Naval do RJ.

Ferrovia Ferrogrão – Estação da Luz Participações Ltda – EDLP

Promove uma equação logística arrojada para o desenvolvimento econômico do Centro-Norte do País, integrando o transporte ferroviário com o hidroviário em Miritituba (margem direita de Rio Tapajós). Trata-se de um empreendimento estudado com rigor técnico pela EDLP/Macrologística e apoio do setor privado, pujante produtor do agronegócio do Centro-Norte brasileiro, com investimentos privados da ordem de R$13 bilhões.

Empreendimento Público:

Instalação Portuária Pública de Pequeno Porte (IP4) – DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES  (DNIT)

O empreendimento é a construção das IP4 (Instalação Portuária Pública de Pequeno Porte), devido à relevante importância para a região amazônica. As IP4 são pequenos portos instalados em municípios do Norte do Brasil onde há necessidade do transporte fluvial para facilitar a movimentação de passageiros e cargas em locais onde esse tipo de acessibilidade ainda é escasso. As IP4s atendem a inúmeras embarcações de transporte de mercadorias/passageiros e movimentam a economia das populações ribeirinhas.

Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL) – VALEC

Construída pela empresa pública Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S.A., foi concedida pelo Ministério da Infraestrutura, em leilão que aconteceu na Infra Week de abril de 2021, à Bahia Mineração (Bamin), por um período de operação de 35 anos.

Projeto de Parceria com a Itaipu Binacional de testes com veículos a biometano – FOZTRANS

Autarquia do Município de Foz do Iguaçu (PR), a FozTrans é responsável pelo transporte público da cidade e uma das principais impulsionadoras da mobilidade sustentável e do uso de tecnologias para a integração com a comunidade. A empresa vem fomentando continuamente a utilização de combustíveis renováveis no transporte da população, em especial, o biometano, que já é produzido pela Itaipu Binacional na própria cidade de Foz do Iguaçu e que pode ser utilizado como alternativa ao diesel no transporte público com ônibus movidos a gás.

Construção da Unidade de Demonstração de Biogás e Biometano – ITAIPU BINACIONAL

Líder mundial na geração de energia limpa e renovável, a Itaipu Binacional, empresa criada e gerida por meio de um tratado entre Brasil e Paraguai, vem se destacando no desenvolvimento de projetos de sustentabilidade no país, entre eles, em 2017, a empresa inaugurou a primeira planta para a produção de biometano, combustível produzido a partir de resíduos orgânicos. Em 2018, a Itaipu gerou cerca de 17,5 mil m³ de biometano, o suficiente para abastecer os 80 veículos da frota da empresa, que rodaram cerca de 210 mil quilômetros no ano, o equivalente a quase 5 voltas na Terra.

Novo Pavimento da Pista do Aeroporto de Congonhas – INFRAERO

A INFRAERO realizou, em agosto de 2020, aproveitando-se da redução do movimento de aeronaves em virtude da pandemia, as obras de reconstrução do pavimento da pista de pouso e decolagem do Aeroporto de Congonhas, durante 32 dias consecutivos. A obra, com a tecnologia CPA (camada porosa de atrito), foi destaque na mídia pelos resultados precisos de custo, prazo e qualidade, com investimento da ordem de R$ 11,5 milhões. O projeto resultou em maior segurança operacional para pousos e decolagens.

Programa Combustível do Futuro – MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA

O objetivo do programa é incrementar o uso de combustíveis sustentáveis e o fortalecimento do desenvolvimento tecnológico nacional, além de integrar políticas públicas relacionadas ao setor automotivo e de combustíveis, como o RenovaBio, o Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel, o PROCONVE, o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, o Programa Rota 2030 e o CONPET. Propõe medidas para incrementar o uso de combustíveis sustentáveis e de baixa intensidade de carbono, como biocombustíveis, com vistas a promover maior descarbonização da matriz de transporte do país.

Fábrica de projetos, concessões e parcerias público-privadas – BNDES

Iniciativa encerrou 2020 com 37 projetos consolidados, em um valor total de R$ 180 bilhões.

A “fábrica de projetos” é resultado de uma reorganização na forma de o BNDES apoiar a infraestrutura. O trabalho de financiar os projetos de investimento passou para a área de crédito, enquanto três outras áreas passaram a focar na estruturação de concessões e PPPs. Os projetos são estruturados sob contratação de órgãos do governo federal e dos governos estaduais e prefeituras. O objetivo é desenhar as concessões e PPPs para atrair investimento privado em infraestruturas e serviços públicos. No total, a “fábrica de projetos” tem em torno de 120 projetos na carteira, quando se inclui as privatizações de empresas estatais.

 Inovação

Plataforma de marketplace de fretes – CARGOX

Uma das logitechs de maior destaque atualmente, a CargoX, atua como um marketplace de fretes que conecta empresas, transportadoras e caminhoneiros autônomos. Conhecida como o “Uber dos caminhões” ou “Uber do Transportes Rodoviário de Cargas, conta com mais de 450 mil caminhoneiros em sua plataforma e usa inteligência artificial para automatizar as rotas e promover o melhor match entre cargas e transportadores, vem revolucionando a atividade desse segmento da logística. Tal instrumento vem sendo tratado desde meados dos anos 80 através de iniciativas como “Centrais de Fretes” acessíveis aos caminhoneiros por telefone, mas que não sobreviveram. Agora, com a evolução das comunicações e da internet de banda larga, poderá se torna eficaz e efetiva.

Reator Multipropósito Brasileiro – DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO NUCLEAR DA MARINHA

O Reator Multipropósito Brasileiro é um reator nuclear que tornará o Brasil autossuficiente na produção de radioisótopos, insumo fundamental para a fabricação de rádio fármacos, de grande importância para o tratamento de doenças em diversas áreas da Medicina. O Laboratório de Geração de Energia Nucleoelétrica será composto de uma planta nuclear com 48 Megawatts de potência térmica, energia suficiente para iluminar uma cidade de aproximadamente 20 mil habitantes.

Documento Eletrônico de Transportes (DT-e) – MINISTÉRIO DA INFRAESTRUTURA

A iniciativa vai desburocratizar e simplificar a complexa documentação para a logística integrada. Este documento sempre foi cogitado desde a década de 1980 pelo GEIPOT, que somente agora encontra apoio para efetiva implementação através do Ministério da Infraestrutura (MINFRA). Visa aprimorar a logística intermodal no país por meio da tecnologia, unificando de forma digital uma série de documentos exigidos para o transporte de cargas e passageiros, tornando a logística de todo o país mais rápida e segura. Todas as informações serão digitais e integradas e todo o acompanhamento poderá ser feito por aplicativo.

Projeto Energy Big Push e a Plataforma INOVA-E – EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA (EPE)

Em 2018, quando o Brasil participou da iniciativa internacional Mission Innovation (aliança para colaboração no aumento dos investimentos em inovação em energias limpas), ficou evidente a dificuldade de se reportar os investimentos do país em PD&I na área de energia. Na busca por este objetivo, o governo brasileiro encontrou como parceiros o Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) e a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), através da iniciativa Big Push para a Sustentabilidade. Desta ampla convergência de motivações nasceu, em 2019, o Energy Big Push (EBP) Brasil ou Grande Impulso Energia, iniciativa colaborativa que conta com a participação de diversas instituições e especialistas das áreas de energia e inovação, com destaque para as valorosas contribuições da Agência Internacional de Energia (IEA). Sob coordenação da EPE e execução do CGEE e do Programa de Energia para o Brasil (BEP) do governo britânico, foi concretizada em 2021 a Plataforma digital INOVA-E.

Instituição Financeira

BANCO PÁTRIA

Gestor e investidor em infraestrutura, o Pátria adquiriu, em janeiro de 2020, a concessão, para a operação por 30 anos, da rodovia paulista entre Piracicaba e Panorama (PiPa). A maior malha rodoviária já licitada no Brasil tem extensão de 1.273 km, abrange 12 rodovias e passa por 62 municípios do estado de São Paulo.

BNDES

É um dos maiores bancos mundiais e o principal instrumento do Governo Federal para o financiamento de longo prazo e investimento em todos os segmentos da economia brasileira. Em 2020, o BNDES criou o Programa de Incentivo à Redução de Emissões de CO2 no Setor de Combustíveis, chamado de BNDES RenovaBio, que concede empréstimos a empresas produtoras de biocombustíveis, fomentando a eficiência energética e a produção de combustíveis renováveis, apoiando empresas para atingirem suas metas de redução na emissão de CO2.

BRADESCO

O Bradesco vai investir em projetos de biocombustíveis, saneamento e agricultura de baixo carbono. O banco já sinalizou que está disposto a ser um dos agentes do mercado e anunciou a meta de destinar R$ 250 bilhões para negócios sustentáveis até 2025. A destinação desses recursos se dará por meio de linhas de crédito corporativo, da assessoria  de operações no mercado de capitais e de soluções financeiras com foco em Environmental, Social and Governance (ESG).

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

Com sua nova visão social e econômica, a Caixa Econômica Federal está se interiorizando fortemente, inclusive em áreas remotas, e alcançando público de baixa e média escala de investimento e volume de negócios. A partir dessa postura, a Caixa se fortalece como instituição ímpar no suprimento de crédito popular em alta escala e abrangência.

Personalidade

CRISTIANE ALEXANDRA LOPES GOMES

Presidente da CCR Airports, que faz parte do Grupo CCR, um dos maiores da América Latina no segmento de infraestrutura. Sob a gestão da executiva, a CCR Airports adquiriu 15 aeroportos ao arrematar dois dos três blocos em oferta no leilão de concessões promovido pelo Ministério da Infraestrutura durante a Infra Week, realizada em abril de 2021.

GABRIEL J. KROPSCH

Vice-presidente da Abiogás desde 2013, detém vasto conhecimento no setor de energi,a focando sua atuação em bioenergia e gás. Atua também no setor privado, demonstrando articulação nos programas nos quais está envolvido em prol de um sistema de transportes e logística mais sustentável.

MARCELO PERRUPATO

Tem oferecido vasta contribuição aos Transportes e à Logística do País. Engenheiro Civil pelo UFMG e MSc em Planejamento Econômico na Engenharia pela Universidade de Stanford, foi responsável pelo desenvolvimento e implementação do Plano Nacional de Logística e Transportes para o Brasil. Entre outras atividades, foi  secretário de Coordenaçao de Transportes, secretário-geral , e secretário de Política Nacional de Transportes no Ministério dos Transportes. No setor pivado, ao longo de sua carreira profissional desenvolveu diversos estudos e projetos em rodovias, hidrovias, ferrovias, portos e terminais de transbordo e integração multimodal (Plataformas Logísticas). Especialista e professor em Pós-graduação (IME e Estácio de Sá) na área de Planejamento em transporte multimodal integrado, logística e PPP’s.

MARCO ANTONIO SOUZA CAUDURO

É diretor-presidente da CCR, um dos principais grupos de infraestrutura da América Latina. No mês de abril, a CCR Airport, que integra o grupo, foi um dos maiores compradores no leilão de concessão de aeroportos realizado na Infra Week, promovida pelo Ministério da Infraestrutura. Com lances ousados, a CCR adquiriu dois dos três lotes em oferta, passando a ter a concessão de 15 aeroportos em diversas regiões do país.

RICARDO DELL AQUILA MUSSA

Formado em Engenharia de Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Em 2017 assumiu a Vice-Presidência Executiva da Raízen, responsável pela Logística, Trading e Distribuição do grupo e em 2020 assumiu o cargo de CEO da Raízen. Em 2014 assumiu o negócio de Lubrificantes da Cosan como CEO e posteriormente CEO da Moove Lubrificantes com atuação em 6 países incluindo a Europa e América Latina. Foi um dos fundadores e CEO da Radar por 5 anos, empresa dedicada ao investimento em terras agrícolas com alto potencial de valorização. Nesse período também foi membro do Conselho do Westchester nos EUA, empresa do TIAA CREF (Fundo Pensão Americano) responsável por investimentos agrícolas nos EUA, Europa e Austrália. Já foi responsável pela área de logística da Danone no Brasil e pela área de manufatura da principal fábrica de cosméticos da Unilever na América Latina.

SUANI TEIXEIRA COELHO

Professora do Instituto de Energia e Ambiente (IEE) da Universidade de São Paulo (USP) e pesquisadora do Fapesp Shell Research Centre for Gas Innovation (RCGI), e Danilo Perecin, doutorando e pesquisador do Fapesp Shell Research Centre for Gas Innovation (RCGI), por pesquisas no álcool celulósico (álcool de segunda geração).

Votação finalizada! Obrigado pela participação.

Realização

Patrocínio

Apoio

“O Instituto Besc de Humanidades e Economia promove conhecimento a partir de uma perspectiva de defesa dos valores condizentes à responsabilidade ambiental. A entidade preza e estimula a utilização de materiais de base renovável.”